O Momento Presente

Devemos apreciar o aqui e o agora porque só estão aqui agora (A charge de Ziggy, por Tom Wilson)

O momento presente, esse único instante no qual todas as coisas acontecem, encerra um verdadeiro tesouro de plenitude, alegria e paz que talvez só tenhamos experimentado em algumas circunstâncias excepcionais.

O constante fluxo dos nossos pensamentos, esse incessante diálogo interno que ocupa sempre nossa função, nos separa da única (e maravilhosa!) experiência real: viver plenamente o momento presente.

Experimentar conscientemente cada sensação no nosso corpo, dos nossos sentidos, interrompe (mesmo que seja brevemente) esse diálogo interno que é a desgastante atividade do ego.

Qualquer ação pode se realizar com a atenção colocada no corpo, nos movimentos que realizamos, na respiração e na grande quantidade de informação que recebemos através dos sentidos e que, normalmente, passamos por cima por considerá-la insignificante, irrelevante…

Ao caminhar, por exemplo, podemos nos concentrar nos nossos movimentos, realizando-os de maneira “deliberada”, talvez com certa lerdeza, de tal forma que não haja nada que seja “automático”, atentos a nossa respiração e a cada sensação ou impressão dos nossos sentidos. A vista, por exemplo, nos entrega muitíssima informação.

Este instante, o momento presente, é o único que tem existência real. O passado e o futuro são conceitos abstratos que não podem ser experimentados.

A todos os efeitos práticos, há um só lugar importante em todo o Universo e um único momento de interesse em toda a Eternidade: Aqui e Agora

Axel Piskulic

Tradução de Ana Lúcia de Melo


Para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *